28º Fórum do Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz
- um programa da UNESCO -
 
Economia Sustentável
Prof. Dr. Ladislau Dowbor
 
Vivemos uma era de impressionantes mudanças. No centro do
redemoinho a explosão de novas tecnologias, que mudam as formas de
organização do conhecimento, transformam a organização social, desarticulam
os nossos valores, criam e destroem profissões, geram um clima geral de
perplexidade e freqüentemente de angústia.
As tecnologias avançam em ritmo vertiginoso, mas não os nossos
valores, as formas de organização política e social. Gera-se assim uma
disritmia entre as técnicas e a sociedade que por elas é atropelada.
As tecnologias encolheram o planeta, gerando a globalização. Empresas
financeiras especializadas atacam a moeda de um país, transformando-o na
"bola da vez", como se não se tratasse de um povo, de uma civilização, de
poupanças duramente amealhadas por gerações de trabalhadores. Meia dúzia
de donos de redes de mídia mundial administram literalmente a nossa visão
de mundo
, pois as pessoas formam opiniões com as informações que
conseguem. Os Estados agitam inutilmente as suas velhas armas políticas
nacionais, quando a batalha já passou para a esfera planetária, onde não há
governo algum.
Os países ricos, com 15% da população mundial, controlam 80% da
produção, morrem de tédio e de câncer. No Terceiro Mundo, 3 bilhões de
pessoas se sustentam com menos de 2 dólares por dia, dos quais 1,2 bilhão
com menos de 1 dólar. Não navegam na Internet, não compram automóveis,
não entendem porque não se pesquisa a malária, porque se destrói a vida nos
mares, porque são pobres num mundo rico. Como são pobres, não têm
como investir. E como não investem, não têm como enriquecer.
A sustentabilidade do processo acelerado de transformações que vivemos
passa por novas dinâmicas: o resgate de valores, a democratização da
informação e do conhecimento, o controle dos sistemas especulativos
mundiais, o desenvolvimento de espaços de democracia participativa, o
resgate da solidariedade humana. O mundo se tornou demasiado pequeno
para que o ser humano, e particularmente as grandes instituições de
poder, se comportem como gafanhotos num campo de trigo. A Terra é
uma só.
 
Ladislau Dowbor é doutor em Ciências Econômicas pela Escola Central de Planejamento e
Estatística de Varsóvia, professor titular da PUC de São Paulo e da UMESP, e consultor de diversas
agências das Nações Unidas. É autor de A Reprodução Social, O Mosaico Partido, ambos pela
editora Vozes, além de O que Acontece com o Trabalho? (Ed. Senac) e co-organizador da
coletânea Economia Social no Brasil (Ed. Senac). Seus numerosos trabalhos sobre planejamento
econômico e social estão disponíveis no site: http://dowbor.org

ENTRADA FRANCA

14 de outubro de 2003 - terça-feira - 18h
Local: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Av. Dr. Arnaldo, 715 - São Paulo - (Estação Clínicas do Metrô)



voltar